“Os olhares estão voltados para o Nordeste”, diz presidente do Creci-SE

Uma pesquisa realizada pela Associação de Investidores Estrangeiros em Imóveis (AFIRE), divulgada pelo portal UOL, mostra que a maioria dos investidores estrangeiros pretende injetar mais dinheiro em imóveis nos EUA agora em 2016 do que no ano passado. Além disso, Nova York mantém-se como principal mercado-alvo no mundo. Entretanto, o Brasil aparece em segundo lugar na lista dos países com a melhor oportunidade de valorização do preço em 2016. Em sua rede social, o presidente do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (COFECI), João Teodoro da Silva, destacou que os corretores que já tiverem parcerias com estrangeiros ou buscaram uma especialização em transações imobiliárias internacionais têm grandes chances de alavancar suas carreiras.

O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE), Sérgio Sobral, concorda com a afirmação e complementa, ressaltando a relevância do Nordeste em especial. “Não tenho dúvidas de que é através do mercado imobiliário que a economia, ao menos aqui em nosso estado, vai se reerguer. No ano passado, participei de eventos internacionais e pude observar que os olhares continuam voltados para o Brasil, especialmente para o Nordeste. A pesquisa só confirma o que já estava muito claro. Grupos italianos, russos, portugueses, norte-americanos e espanhóis demonstraram interesse em investir no nosso país, na nossa região”, pontua.

Segundo Sobral, parte desta conquista deve-se ao árduo trabalho do Sistema COFECI-CRECI em diversos salões imobiliários a fim de atrair investidores para o Brasil. “Ainda dá tempo. O corretor que se especializar, buscar mais conhecimentos e se adaptar às demandas do mercado, terá mais chances de se destacar. É em época de crise que aparecem as grandes oportunidades. Nós já víamos essa tendência e os estudos comprovam: os profissionais que quiserem apostar nos negócios com estrangeiros, sejam estes corretores, imobiliárias ou investidores, terão espaço. Para obter êxito nessas relações, é óbvio, não podem faltar conhecimento e especialização”, explica o presidente do Creci-SE.

Anuidade

O prazo para pagamento da anuidade 2016 do Creci-SE é até o dia 31 de março. Até o dia 29 de janeiro (sexta-feira), corretores de imóveis e imobiliárias podem parcelar em até cinco vezes o pagamento. As anuidades exigidas pelos conselhos de fiscalização profissional, como é o caso do Creci-SE, têm natureza tributária, por isso são obrigatórias.

Tanto os valores das anuidades quanto as correções para quem recolhe a contribuição fora do prazo são fixados pelo COFECI, através de Resoluções que são publicadas no Diário Oficial da União, com base na Lei nº. 6.530/78 c/c Decreto 81.871/78 e alterações introduzidas pela Lei nº. 10.795/03.

Aos CRECIs, cabe somente cumprir e fazer cumprir com as normas estabelecidas pelo Conselho Federal. Portanto, a Diretoria do Creci-SE não pode alterar valores de anuidades.

Declaração de Inocorrência

Corretores de imóveis e imobiliárias têm até o dia 31 de janeiro para fazer a Declaração de Inocorrência ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF). Deixar de comunicar ao COAF, quando obrigado a fazê-lo, é infração legal punível com multa irrecorrível. O prazo para Declaração de Inocorrência teve início no dia 1º e segue até o dia 31 de janeiro de 2016.

Deverá fazer a Declaração de Inocorrência toda e qualquer pessoa física ou jurídica que não se enquadre na Resolução-COFECI nº 1.336/2014, Seção VI – Das comunicações ao COAF, Art. 8º, incisos I ao XII e Parágrafo Único. Não há despesa no cadastramento dos dados, e nenhum pedido de informação deverá ser dirigido diretamente ao COAF, somente ao COFECI (https://crecise.gov.br/). Vale frisar que após o dia 31 de janeiro, o profissional que não fizer a Declaração de Inocorrência estará sujeito a multa.