Para o presidente do Conselho, Sergipe tem peculiaridades que estimulam o interesse de investidores estrangeiros

Em entrevista concedida ao Jornal da Manhã (Jovem Pan) desta terça-feira (03), o presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (CRECI/SE), Sérgio Sobral, falou das perspectivas para este ano que se inicia. Ele frisou que em meio ao cenário de crise e dificuldades sociais, políticas e econômicas, o mercado imobiliário sergipano passou por uma experiência atípica de superação. “Nós, presidentes dos CRECIs, avaliamos o mercado imobiliário de cada estado a cada dois meses. Em novembro, durante a última Plenária Federal do ano, fizemos uma análise e chegamos à conclusão de que Sergipe seguiu como um dos poucos estados com lançamentos imobiliários. A classe média daqui é forte e o sergipano é bom pagador”, frisou.

Sobral destacou que os planos para 2017 envolvem trazer mais investidores para o Brasil. “Através do COFECI – Conselho Federal de Corretores de Imóveis, fizemos uma divulgação do país e especialmente do Nordeste e de Sergipe. Sem dúvidas, o Nordeste continua a ‘bola da vez’, principalmente agora com a aprovação da PEC 55, que estabelece um teto para os gastos públicos”, explicou. E o presidente concorda: para que o mercado imobiliário brasileiro tenha mais credibilidade, a diminuição dos impostos, a reforma política e outras medidas de estímulo aos investimentos precisam ser adotadas ainda neste ano. Alguns dias atrás, numa entrevista concedida ao programa Mora, Sergipe, o presidente já havia mencionado a importância de compartilhar com o mercado internacional as oportunidades que o Brasil oferece.

“Participamos de salões imobiliários em Portugal, Orlando, França… Sempre com o estande do COFECI divulgando o mercado brasileiro”, lembrou Sobral.

Para ele, Sergipe tem peculiaridades que estimulam o interesse de investidores estrangeiros. “Nós temos cinco rios, praias nativas, mão de obra farta, terrenos mais baratos do que em alguns estados vizinhos, entre outros fatores. Portugal está saindo da crise porque lá fizeram um trabalho intenso com investidores, que é o que está alavancando a economia. Estamos programando trazer delegações russas, espanholas, portuguesas e americanas para investir em nosso Estado. Além disso, muita gente do Sul e do Sudeste do próprio Brasil vem para cá, especialmente para o interior”, afirmou.

Incentivos

No final do mês de novembro, o Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu elevar o valor do imóvel que pode ser comprado com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Em Sergipe, esse valor subiu de R$ 650 mil para R$ 800 mil e a taxa de juros diminuiu, alcançando o teto de 12% ao ano. Para Sobral, a tendência é que o governo siga aplicando mudanças que darão um novo fôlego ao segmento. “Recentemente, nós (do COFECI) conseguimos com o ministro Kassab, junto ao presidente Temer, que alongassem os financiamentos e diminuíssem os juros. Também conseguimos, após diversas reuniões com a CAIXA, que os corretores de imóveis tenham o direito de vender os imóveis adjudicados pela instituição financeira a partir deste ano. Somente na primeira leva são 40mil imóveis”, contou.