A Fiscalização do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE), setor de extrema importância para a segurança da categoria e da sociedade em geral, agora conta com nova coordenação. Wanessa Kelly, agente fiscal, assumiu o cargo recentemente e já tem planos para o ano de 2019. Entre as estratégias, intensificar o trabalho no interior sergipano, especialmente nas cidades em que a atividade da corretagem tem crescido.

“Nós atuamos em visita aos diversos municípios nos quais estão com expansão imobiliária, orientando os corretores em relação a vendas, obrigatoriedade do registro de incorporação e apurando denúncias. Essas denúncias, inclusive, são fundamentais para a atuação do setor de Fiscalização, pois através delas é possível a retirada dos contraventores, aquelas pessoas que não têm habilitação legal para atuar na corretagem de imóveis. Vale frisar que denunciar um contraventor – ou mesmo um profissional que não esteja agindo dentro da legislação – é uma forma de contribuir com o fortalecimento do mercado imobiliário”, explica Wanessa.

Somente neste mês de fevereiro, foram autuados cinco contraventores – a maioria resultado de denúncias anônimas.  Para Wanessa, os números do setor são fruto de um trabalho conjunto entre o Creci, os corretores e a sociedade em geral. “Nós trabalhamos diariamente na busca do combate à contravenção, que é a maior ameaça à categoria e ao mercado imobiliário. Além disso, o Conselho investe frequentemente em campanhas de valorização da categoria e combate ao exercício ilegal”, destaca a coordenadora.

A denúncia pode ser feita de forma anônima através do telefone (79) 2106-6801, de formulário no site ( https://crecise.gov.br/.), de e-mail (fiscalizacao@crecise.gov.br) ou presencialmente na sede do Conselho. “Quando há esse trabalho conjunto, o Creci alcança seus objetivos como órgão de fiscalização, a sociedade tem mais segurança nos negócios, evitando prejuízos morais e materiais, e o corretor de imóveis, por sua vez, tem um mercado de trabalho mais justo para atuar”, pontua Wanessa.