CRECI SERGIPE

Creci Sergipe tem sua primeira reunião de diretoria do triênio 2022-2024

O Conselho contará com um inédito calendário institucional

A nova diretoria executiva do Creci Sergipe se reuniu nesta última sexta-feira, 14 de janeiro, para fazer um balanço da situação em que recebeu o Conselho e alinhar diretrizes para a gestão no exercício 2022. 

Na extensa pauta, dentre os assuntos discutidos – todos votados e aprovados por unanimidade – tiveram destaque o Planejamento Estratégico 2022, a modernização dos serviços e a criação do Calendário Institucional. Este último, uma grande inovação para o Creci-SE, proporcionará o conhecimento sobre as atividades do Conselho, tanto para o profissional quanto para a sociedade, além de fazer fluir de forma mais efetiva e organizada o trabalho de seus colaboradores.

“Foi uma reunião bastante produtiva e todos os diretores contribuíram com análises e sugestões. Já começamos muito bem alinhados, mesmo em meio às dificuldades que encontramos. Tenho certeza de que juntos vamos trabalhar para desenvolver esta que é a casa do corretor de imóveis”, pontuou o presidente André Cardoso. 

Estavam presentes, além do presidente, Carla Pimentel (vice-presidente), Henrique Carvalho (diretor secretário), Alberto Garcez (diretor tesoureiro), Luciano Miranda (2º vice-presidente), Márcia Moreira (2ª diretora secretária), Rodrigo Calfa (2º diretor tesoureiro) e os conselheiros Hunaldo Lima (diretor institucional) e Samuel Chagas (conselheiro federal suplente), além do superintendente Geraldo Maia e do assessor jurídico Walber Muniz.

Conselheiros e diretores do Creci Sergipe recebem treinamento em início de gestão

A nova gestão do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE) realizou, no dia 7 de janeiro, o primeiro treinamento com conselheiros e diretores para alinhar expectativas e informações acerca do triênio 2022-2024. O presidente André Cardoso fez a abertura dos trabalhos, dando as boas vindas a todos e explanando como seria o treinamento. Também aproveitou a ocasião para transmitir uma mensagem de feliz ano novo do presidente do Cofeci, João Teodoro da Silva, aos conselheiros sergipanos. 

“Para ser participativa, uma gestão precisa de alinhamento constante: de ideias, de conhecimento, de estratégias e de comunicação. Este é só o começo de uma série de capacitações que pretendemos proporcionar não só aos conselheiros como aos colaboradores, para que o Creci Sergipe ofereça sempre o melhor aos corretores de imóveis, à sociedade e ao mercado imobiliário como um todo”, frisou o presidente.

Dando início à programação, a assessora de comunicação Tainah Quintela apresentou os principais pontos do plano de comunicação aprovado para o triênio. O superintendente Geraldo Maia falou sobre como funcionam o Sistema Cofeci-Creci e o Creci Sergipe nos âmbitos administrativo, de fiscalização, jurídico e de comunicação. Quem encerrou o treinamento foi o assessor jurídico do Conselho, o advogado Walber Muniz, que orientou todos os presentes sobre os procedimentos de fiscalização e processos disciplinares.

Corretores de imóveis e imobiliárias devem declarar Comunicação de Não Ocorrência

Prazo vai até dia 31 de janeiro de 2022

Corretores de imóveis e empresas imobiliárias têm até o próximo dia 31 de janeiro para apresentar a Comunicação de Não Ocorrência ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), de acordo com a nova redação dada pela Lei nº 12.683/2012 – Prevenção à Lavagem de Dinheiro. O setor imobiliário foi incluído pela Lei nº 9.613/98 como setor obrigado a cumprir normas que visam prevenir a lavagem de dinheiro nesse ramo de atividade econômica. Desde que a Lei nº 12.683/2012 alterou a Lei nº 9.613/1998, as pessoas físicas também são obrigadas a cumprir tais normas. Deixar de comunicar, quando obrigado a fazê-lo, é infração legal punível com multa irrecorrível.

Entenda a Comunicação de Não Ocorrência

Todas as empresas imobiliárias e corretores de imóveis são obrigados a criar um arquivo próprio e nele registrar todo e qualquer negócio imobiliário igual ou superior a R$ 100.000.00 (cem mil reais) em moeda estrangeira, além de se obrigarem encaminhar ao COAF, no prazo de 24 horas, toda e qualquer transação que traga indício dos crimes previstos na Lei nº 9.613/98, com eles se relacionarem ou que se enquadrem nos requisitos elencados no anexo da Resolução nº 1.336/2014.

No caso de não ter havido qualquer operação suspeita ao longo do ano de 2021, tanto as empresas imobiliárias como os corretores de imóveis são obrigados a emitir a Comunicação de Não Ocorrência. O Coaf é responsável por receber e cruzar as informações sobre pessoas e operações, a fim de identificar possíveis operações de lavagem, traçar o caminho percorrido por esse dinheiro e enviar ao Ministério Público ou à Polícia Federal as informações que tem para que tais órgãos investiguem.

Aqui no portal eletrônico do Creci Sergipe é possível acessar o link direto do Cofeci tanto para acessar orientações como para fazer esta comunicação. “Nós vamos reforçar bastante essas informações, incentivando que os profissionais corretores de imóveis, inclusive, se cadastrem no Coaf e comuniquem ao referido órgão, no prazo de 24 horas da data da operação, toda e qualquer transação imobiliária ou proposta de caráter suspeito”, destaca o presidente do Creci-SE, André Cardoso.

O prazo para a Comunicação de Não Ocorrência teve início no dia 1º e segue até o dia 31 de janeiro de 2022. Deverá fazer a Comunicação toda e qualquer pessoa física ou jurídica que não se enquadre na Resolução-COFECI nº 1.336/2014, Seção VI – Das comunicações ao COAF, Art. 8º, incisos I ao XII e Parágrafo Único. Não há despesa no cadastramento dos dados, e nenhum pedido de informação deverá ser dirigido diretamente ao COAF, somente ao COFECI. Após o dia 31 de janeiro, o profissional que não fizer a Comunicação de Não Ocorrência estará sujeito à multa irrecorrível.

Para o portal: CLIQUE AQUI para saber mais e fazer sua Comunicação de Não Ocorrência.

Nova diretoria do Creci Sergipe viabiliza parcelamento de taxa de inscrição e de primeira anuidade 2022

Abrindo os trabalhos do triênio 2022-2024, a diretoria do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE 16ª Região) viabilizou, através da Portaria nº 17/2022, assinada pelo presidente André Cardoso e pelo diretor-secretário Henrique Carvalho e já de conhecimento do Conselho Federal, o parcelamento da taxa de inscrição e da primeira anuidade para aqueles que estão entrando no mercado imobiliário. Até então, somente era possível efetuar o parcelamento na taxa de anuidade dos profissionais já inscritos. 

Agora, os novos corretores podem pagar em até três parcelas no cartão de crédito, diretamente na sede do Conselho. “Uma iniciativa aparentemente simples, mas retirar a obrigatoriedade de fazer o primeiro pagamento totalmente à vista já facilita a vida do corretor que está iniciando na profissão”, pontuou o diretor financeiro, Alberto Garcez. 

Para os profissionais já inscritos, o Creci-SE informa que está disponível a emissão do boleto da anuidade 2022, prevista na Lei nº 6.530/78, com diversas opções de descontos e parcelamentos. A fim de proporcionar um método mais moderno, ágil e de acordo com os princípios de sustentabilidade, não mais serão enviados boletos pelos Correios. 

Para o(a) Corretor(a) de Imóveis ou Imobiliária gerar seu boleto, basta acessar o site (www.crecise.gov.br), clicar no botão “Boleto da Anuidade” e preencher os dados solicitados (CPF/CNPJ e nº do Creci). “O objetivo é que, com segurança, o profissional tenha acesso aos seus boletos de uma forma rápida, simples e prática”, ressalta o superintendente Geraldo Maia.

O Sistema Cofeci-Creci já autorizou, inclusive, um desconto de R$ 31, 76 no valor base da anuidade (Art. 2º da Resolução COFECI-CRECI nº 1455/2021), desde que o pagamento seja feito à vista ou sob a forma de parcelamento prevista nos artigos 3º e 5º, até o dia 31 de março de 2022. 

Além disso, é possível efetuar o pagamento das seguintes formas:

– à vista, com desconto:

Para pagamento até 15/01/22, desconto de 10% R$ 71,00 (Valor com Desconto: R$ 639,00)

Para pagamento até 15/02/22, desconto de 6% R$ 42,60 (Valor com Desconto: R$ 667,40)

Para pagamento até 15/03/22, desconto de 4% R$ 28,40 (Valor com Desconto: R$ 681,60)

– parcelado no boleto. Para tal forma de pagamento, o(a) corretor(a) precisa, caso ainda não tenha cadastro no portal do Creci Sergipe, fazer o cadastro e seguir todos os passos orientados.

Ao optar por uma dessas formas de pagamento, o boleto pode ser pago através do código de barra pelo Internet Banking e, com isso, a economia de impressão de papéis reduz custos e colabora com a as ações de preservação do meio ambiente. Além disso, o boleto é gerado automaticamente, ou seja, otimiza o tempo. 

O parcelamento pode ser feito também no cartão de crédito (em até 10 vezes), mas somente na sede do Conselho. O setor Financeiro seguirá atendendo normalmente na sede do Conselho, de segunda a sexta-feira, das 08h às 12h e das 13h às 17h, exceto feriados. Vale frisar que a anuidade é condição essencial ao exercício da profissão.

Siga nossos canais e fique por dentro das notícias do Conselho e do mercado imobiliário. 

O prazo para suspensão ou cancelamento da inscrição profissional, sem que incida a obrigação do adimplemento da anuidade 2022, é até 31/03/2022.

Novos conselheiros e diretores assumem gestão no Creci Sergipe

A nova gestão do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe assumiu na manhã desta segunda-feira, 03 de janeiro, com a presença de diretores e colaboradores da instituição. O presidente André Cardoso deu as boas-vindas a todos e, em seu primeiro discurso, destacou que seu compromisso com o Conselho implica trabalhar para garantir o que foi apresentado no período de campanha: uma gestão participativa, inclusiva, transparente, eficiente e moderna. “Trabalhar por um Creci que, de fato, represente a categoria, proteja a sociedade e que ofereça as melhores condições de trabalho possíveis aos colaboradores”, pontuou André Cardoso. 

Emocionado, o presidente frisou que não será uma trajetória fácil, mas unindo forças, com diálogo e muito trabalho, é possível reerguer o Creci Sergipe e fortalecer esta que precisa ser a verdadeira Casa do Corretor de Imóveis. “Este dia 3 de janeiro de 2022 sela o início de uma gestão feita por corretores, com corretores e para corretores. Corretores que trabalham, que se aprimoram, que sabem que merecem um Conselho de Classe atuante e que preza o coletivo”.

Na oportunidade, os novos diretores também foram apresentados aos colaboradores. No portal eletrônico do Creci Sergipe, que já foi reformulado a fim de ficar mais objetivo, moderno e intuitivo, é possível conferir todos os integrantes do Conselho, bem como das diretorias desta gestão 2022-2024.

Creci Sergipe participa de seminário jurídico com foco no mercado imobiliário

O presidente Sérgio Sobral foi um dos convidados da mesa de debates Continue lendo Creci Sergipe participa de seminário jurídico com foco no mercado imobiliário…

Sergipe recebe 4º Encontro Global de Corretoras de Imóveis

Evento reuniu mais de 500 profissionais no Hotel Del Mar.

Continue lendo Sergipe recebe 4º Encontro Global de Corretoras de Imóveis…

Programa Inovar oferta segundo módulo de Documentação Cartorária

Na tarde da última terça-feira (11 de junho), o Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE) promoveu o segundo módulo do curso de Documentação Cartorária, dando continuidade ao programa pedagógico Inovar. A capacitação, com ênfase em Certidões do Registro de Imóveis, é fruto de uma parceria com a Associação dos Notários e Registradores do Estado de Sergipe (Anoreg-SE). Quem ministrou foi o especialista em Direito Imobiliário e oficial registrador Gabriel Campos de Souza.

A corretora de imóveis Karina Santos, que vem participando de diversos cursos e palestras ofertados pelo Creci-SE, aprovou o conteúdo compartilhado. “É muito enriquecedor, agrega valor ao nosso trabalho e conhecimento, fazendo com que a gente se aperfeiçoe, obtendo êxito nas nossas transações imobiliárias, nas informações que passamos aos nossos clientes. Isto capacita e fortalece ainda mais nossa categoria”, pontuou a profissional.

Para o presidente Sérgio Sobral, o programa Inovar tem cumprido seu objetivo primordial, que é proporcionar oportunidades de aprimoramento profissional. “Nós temos visto um interesse cada vez maior por parte dos corretores sergipanos, inclusive sugerindo temas nas enquetes que o Creci disponibiliza. E a iniciativa de ofertar em módulos o curso de Documentação Cartorária, tão importante no dia a dia do corretor, permite um melhor aproveitamento do tema”, ressaltou Sobral.

Sérgio Sobral defende turismo e mercado imobiliário em audiência pública

O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE), Sérgio Sobral, foi convidado a participar de audiência pública na Assembleia Legislativa (Alese), no dia 31 de maio. Na pauta, discussões sobre a situação das casas de veraneio que estão localizadas na Praia Caueira, município de Itaporanga  D’Ajuda. Isto porque o Ministério Público Federal (MPF), por meio de uma Ação Civil Pública (ACP), compreendeu que além de a praia estar inserida em uma Área de Preservação Permanente (APP), o local protege um berçário de espécies de tartarugas marinhas em risco de extinção. Sobral julgou positiva a iniciativa da audiência, proposta pelo deputado estadual Luciano Pimentel. “É uma pauta que envolve a comunidade daquelas regiões, então é justo e necessário discuti-la juntamente com os moradores e órgãos envolvidos”, ressaltou.

Estavam presentes, na oportunidade, moradores dos municípios de Itaporanga D’ajuda e de Estância, representantes de órgão públicos estaduais e federais envolvidos com a área ambiental, parlamentares estaduais e do município de Itaporanga, corretores de imóveis e consultores ambientais. “O juízo da 7ª Vara Federal de Sergipe determinou a vedação de novas construções e a paralisação das que estão em curso na Praia da Caueira, mas o problema do litoral é mais complexo do que o que se imagina, e está atingindo todo o litoral sul, afetando o mercado imobiliário, o turismo e, consequentemente, a economia do estado. Sergipe não tem uma política de turismo, o que falta para resolver essa situação é gestão. Desde o governo de Antônio Carlos Valadares existe um projeto para resolver o problema do litoral sergipano, mas até hoje, entra governo, sai governo e nada muda”, lamentou Sérgio Sobral.

O presidente do Creci-SE compartilhou algumas informações para argumentar porque somente derrubar casas e outras edificações não resolve os problemas em questão. “No Nordeste, apenas Teresina (PI) possui menos quartos de hotel do que Aracaju. Aqui o turismo não existe. Praticamente 80% das pessoas que vêm para cá são da Bahia e buscam nosso Estado por conta da tranquilidade, para fugirem das festas. É inadmissível, porque Sergipe é um Estado de mão de obra farta e qualificada, de terra barata e que tem sol o ano inteiro. A coisa mais difícil é encontrar praias nativas no mundo e Sergipe tem, mas isto não é explorado como poderia ser – em benefício da economia e da população. O mercado imobiliário na Bahia e em Alagoas é forte porque os turistas nacionais e internacionais investem nesses estados. A gente percebe que também falta vontade política para incrementar o turismo”, pontuou.

Referindo-se às praias da Caueira, em Itaporanga, do Abaís e do Saco, em Estância, Sobral frisou ainda que “se fosse em outro Estado, já teríamos uma estrutura de hotéis, resorts e restaurantes montados. Essa união dos órgãos todos aqui nesta audiência revela a dimensão do problema. Não existe uma política de atração de investidores. Nos últimos dois anos, muitas empresas foram embora para a Bahia e Alagoas, porque lá os tributos são menores e o Estado ajuda dando condições e incentivos”, justificou, aproveitando para descrever as condições em que se encontra a Orla de Aracaju. “Nem aquela Orla, a mais bonita do Brasil, estão mantendo. Nem o que fizeram estão mantendo. Como sergipanos, ficamos tristes com esta realidade. O problema do turismo e do setor imobiliário é difícil. No caso da Caueira, por exemplo, aquele loteamento existe há uns 30 anos, aprovado e registrado pelo próprio Governo, que fez serviços de calçamento e drenagem. E agora vão derrubar as casas? Isso não tem lógica alguma. É preciso discutir e tentar resolver da melhor maneira possível. O mar continua avançando e o Governo não toma as devidas providências para proteger o litoral sergipano”, concluiu.

1 2 3 18