CRECI SERGIPE

Cofeci participa de 1º Encontro Política Olho no Olho

Evento contou com participação do Ministro Ricardo Salles

 

Na última segunda-feira (14), o Secovi São Paulo realizou a primeira edição do Encontro Política Olho no Olho, reunindo políticos e representantes de instituições do segmento imobiliário. Representando o Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci), estavam o presidente João Teodoro da Silva e o diretor secretário Sérgio Sobral, que é também presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE). A convite do presidente do Secovi-SP, Basilio Jafet, o evento contou com a participação do Ministro de Estado do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que ministrou palestra abordando o tema “Foco na Eficiência”.

Presidentes

Da esq. para a dir., João Teodoro da Silva, o ministro Ricardo Salles e Sérgio Sobral.

Para Sérgio Sobral, as medidas anunciadas por Ricardo Salles contribuirão com o desenvolvimento mercado imobiliário, grande pilar da economia brasileira. “O ministro destacou que sua pasta tornará o licenciamento ambiental menos burocrático, mais ágil. Como ele mesmo disse, o Brasil precisa de transparência, bom senso, de respeito à livre iniciativa e de lucro que gere investimentos. Nós acreditamos que serão tempos de retomada do mercado com normas que respeitam o meio ambiente ao mesmo tempo em que estimulam o crescimento econômico”, frisou o diretor secretário do Cofeci.

Ricardo Salles informou que o ministério será todo digital, defendendo que a medida “fortalece a transparência e agiliza diversos processos”. Na oportunidade, também ressaltou que o déficit habitacional receberá maior atenção. “Muito se fala do campo, mas precisamos também ter um olhar para as cidades, a poluição dos rios, do ar, da contaminação dos solos, que são problemas graves”, argumentou, lembrando que o combate ao déficit habitacional pode resolver boa parte desses problemas, uma vez que moradia adequada impacta positivamente em questões como saneamento básico, captação de água, descontaminação de solo, entre outros.

Basilio Jafet, presidente do Secovi-SP, disse que acredita em uma mudança na forma como os agentes públicos veem o setor privado. “Sua gestão [Ricardo Salles] como secretário estadual do Meio Ambiente foi marcada por atitudes corajosas, com enfrentamento de dogmas e ideologias prejudiciais aos objetivos de fazer convergir o desenvolvimento com a proteção ambiental”, salientou.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Secovi-SP

Sérgio Sobral participa de posse do novo presidente da  CAIXA

A convite da Caixa Econômica Federal (CEF), o diretor secretário do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci) e presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE), Sérgio Sobral, marcou presença nas solenidades de posse e transmissão de cargo do novo presidente da instituição financeira, o economista Pedro Guimarães. O evento aconteceu na última segunda-feira (7 de janeiro), nas dependências do Salão Nobre do Palácio do Planalto e no Teatro da CAIXA Cultural no Setor Bancário Sul, em Brasília.

Sérgio Sobral ao lado do novo presidente da CEF, Pedro Guimarães

Sérgio Sobral ao lado do novo presidente da CEF, Pedro Guimarães

Na oportunidade, Sérgio Sobral conversou com o novo presidente da CEF, Pedro Guimarães, com o vice-presidente Marcelo Prata e com o ex-presidente, Nelson de Souza. “As metas mencionadas por Guimarães impactam positivamente no crescimento do mercado imobiliário, por exemplo: aumentar o microcrédito a comunidades carentes, que como bem sabemos ainda representam um déficit habitacional grande, e atender às empresas menores. Estamos falando do quinto maior banco do mundo, então é muito importante que esteja à frente de sua administração um economista com visão e experiência de mercado. Guimarães nos apresentou medidas que certamente revolucionarão para melhor o mercado imobiliário”, frisou o presidente do Creci Sergipe.

Durante seu discurso, Guimarães informou que nas próximas semanas visitará todos os estados brasileiros para ouvir a população. “Estaremos esperando por ele em Sergipe, sem dúvidas. É do nosso interesse que micro e pequenos empreendedores sejam contemplados com essa ampliação do microcrédito, bem como as famílias mais carentes tenham oportunidade de adquirir sua casa própria. Acredito que essas medidas são um passo consistente rumo ao fortalecimento do mercado imobiliário sergipano”, pontuou Sobral, enaltecendo a iniciativa de estabelecer parcerias com o Banco do Nordeste e o Banco do Brasil nas operações de microcrédito, mencionada pelo presidente da CEF.

Sigas as redes sociais do Creci Sergipe e fique por dentro das notícias do Conselho e do mercado imobiliário.

CAIXA reconhece contribuição de corretores de imóveis para resultados em 2018

Nesta última terça-feira (18 de dezembro), a Caixa Econômica Federal realizou uma ação de reconhecimento relativa aos resultados de vendas conquistados em 2018. Para isso, reuniu corretores de imóveis que, credenciados por meio de convênio firmado entre Sistema Cofeci-Creci e CAIXA, vêm comercializando os imóveis adjudicados (retomados) da instituição financeira. O Creci Sergipe, que sediou o evento, também foi homenageado por contribuir com a divulgação do convênio, estimulando corretores e imobiliárias a se credenciarem ao longo do ano. Representando o Creci-SE, estavam o presidente Sérgio Sobral, o vice-presidente André Cardoso e os diretores Hunaldo Lima, Marcus Silva e Samuel Chagas. Da CAIXA, estavam presentes Gerald

CAIXA reconhece contribuição positiva do Creci Sergipe

CAIXA reconhece contribuição positiva do Creci Sergipe

o Souza, Rômulo Andrade, Felipe Carvalho e a Coordenadora de Filial Extensão Aracaju, Ainara Sena, que apresentou a ação.

O presidente Sérgio Sobral, que é coordenador nacional do convênio, enalteceu a importância da atuação dos corretores de imóveis em todo o processo. “Proporcionalmente e em comparação à quantidade de imóveis disponíveis, Sergipe se destaca na quantidade de imóveis vendidos. Nossos corretores estão de parabéns pelo empenho. Estão sempre buscando aprimoramento profissional também, o que é muito relevante no mercado dinâmico e competitivo que temos. Nós (do Sistema Cofeci-Creci) negociamos essa parceria com a CAIXA por quase um ano, até que finalmente saiu. Seguimos nas negociações para que a burocracia seja reduzida e fique ainda melhor para os corretores de imóveis, que são os responsáveis por tamanha movimentação. Os imóveis estão sendo disponibilizados, mas é a nossa categoria que os comercializa, ajudando a aquecer a economia”, frisou Sobral.

Ainara Sena fez uma breve apresentação dos resultados obtidos em 2018, passando por histórico de vendas, modalidades e formas de pagamento, entre outros tópicos. Também representando a CAIXA estavam presentes Geraldo Souza, Rômulo Andrade e Felipe Carvalho. Entre todos os corretores de imóveis credenciados junto à CAIXA, cinco se destacaram nas vendas: Marieta Arimatéa Roza Cabral (5º lugar), José Euzébio das Virgens Santos (4º lugar), José Lucas Oliveira Sales da Paixão (3º lugar), Felizola Consultoria Imobiliária (2º lugar) e Seabra Corretora Imobiliária (1º lugar).

É ILEGAL E IMORAL CORRETOR SEM CRECI NAS CONSTRUTORAS E INCORPORADORAS

Por João Teodoro da Silva

Presidente do Cofeci

As redes sociais veiculam às escâncaras notícia que preocupa os Corretores de Imóveis,sob o título : “Empregado de construtora pode vender imóvel sem registro no Creci, decideo STF”. A briga é antiga. Há decisões favoráveis e contrárias às construtoras. O próprio judiciário não tem posição firmada. Na maioria das vezes, decide pelo melhor argumento. Aliás, é o que não nos falta. Vejamos:

1. A Lei 6.530/78, em seu art. 3º, estabelece que “Compete ao Corretor de Imóveis exercer a intermediação na compra, venda, permuta e locação de imóveis, podendo,ainda, opinar quanto à comercialização imobiliária”.

O art. 2º do Decreto 81.871/78, regulamentador da Lei 6.530/78, repete o texto acima. Mas o seu art. 3º decreta: “As atribuições constantes do artigo anterior poderão, também, ser exercidas por pessoa jurídica devidamente inscrita no Conselho Regional de Corretores de Imóveis da jurisdição”, com as seguinte ressalva, em seu parágrafo único: “O atendimento ao público interessado na compra, venda, permuta ou locação de imóvel, cuja transação esteja sendo patrocinada por pessoa jurídica, somente poderá ser feito por Corretor de Imóveis inscrito no Conselhos Regional da jurisdição”.

Data venia, não há maior clareza legal. Pessoa jurídica é mera ficção legal, é incorpórea, abstrata. Tudo o que a ela se atribui só se faz por meio de pessoas físicas, estas, sim, com personalidade própria, concreta. Portanto, se a empresa vende imóvel, ela o faz por meio de trabalho terceirizado a uma pessoa física, empregada ou não.

Ora,se a pessoa física é terceirizada ela é intermediadora do negócio. No caso, apessoa física é mediadora, conciliadorados interesses da construtora e do comprador. A construtora nada mais é doque patrocinadora do negócio, nos termos do parágrafo único do art. 3º do Decreto 81.871/78. Mesmo porque pessoa abstrata, incorpórea, não decide por si. Por óbvio, só o Corretor de Imóveis pode ser essa pessoa terceirizada.

2. A decisão judicial ignora que o trabalho do Corretor de Imóveis é trabalho técnico, lastreado legalmente em curso deformação técnica de nível pós-médio ou superior, nos termos do art. 2º da lei6.530/78, que diz: “O exercício da profissão de Corretor de Imóveis será permitido ao possuidor de título de Técnico em transações Imobiliárias”.

Ora, tais cursos conferem conhecimentos técnicos indispensáveis ao exercício da mediação de negócios imobiliários. Ignorá-los seria o mesmo que admitir que, desde que empregado da construtora, qualquer um pode exercer a função de engenheiro ou arquiteto sem inscrição no Conselho da classe, ou de médico, no hospital.

Além disso, o Corretor de Imóveis inscrito no seu Conselho Regional, por força de submissão ao Código de Ética Profissional (Resolução-Cofeci nº 326/92) está obrigado, no exercício da profissão, a ser MEDIADOR dos interesses entre proprietário e comprador do imóvel, jamais a ser DEFENSOR dos interesses de qualquer das partes.

No entanto, um empregado de construtora, até por dever de lealdade ao seu empregador, está obrigado justamente ao contrário, ou seja, a DEFENDER os interesses de seu patrão, em total detrimento dos interesses do comprador. Portanto nada mais justo e legal que a intermediação imobiliária seja feita sempre por Corretor de Imóveis.

3. Natureza fiscal do imóvel – Há dois tipos de imóvel a serem considerados: i) imóvel lançado contabilmente como bem imobilizado, pertencente ao patrimônio da empresa. Nesta categoria se insere, por exemplo, o imóvel sede da empresa, ou de suas filiais; ii) imóvel não pertencente ao patrimônio imobilizado da empresa, construído ou adquirido com objetivo de ser vendido a terceiros. Neste caso, o imóvel é produto, é mercadoria produzida ou adquirida pela empresa, a fim de lhe gerar resultado operacional, lucro.

No primeiro caso, é admissível que o imóvel seja vendido diretamente pela empresa, sem a presença de Corretor de Imóveis, desde que o operador da venda seja o próprio dono ou sócio da empresa e não um seu empregado. Se houver uma terceira pessoa na operação do negócio, por certo, esta terá de ser um Corretor de Imóveis, sob pena de transgressão legal, como visto acima.

João Teodoro da Silva, Presidente do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci).

João Teodoro da Silva, Presidente do Cofeci. Foto: Internet

No segundo caso, não há o que ser discutido. O imóvel é PRODUTO, é mercadoria, resultante de produção própria ou aquisição que, quando vendido, proporcionará lucro operacional à empresa. Sem dúvida, para que se promova a MEDIAÇÃO e não a DEFESA de interesses, este produto só pode ser vendido por meio de Corretor de Imóveis.

4. Exploração do trabalho – Não menos relevante é a possível exploração de pessoas fragilizadas, emocional e financeiramente, por construtores inescrupulosos. A contratação de tais “vendedores” de imóveis, não raro, dá-se mediante remuneração inumana e péssimas condições de trabalho, em plantões que não dispõem mais do que um guarda-sol, sem instalações sanitárias, sem água, etc.. A não exigência do Creci é usada como argumento para redução ou negação de benefícios sociais.

5. Enfim, a decisão judicial é absolutamente equivocada. O Cofeci já trabalha para ingressar como assistente na ação, que foi proposta pelo Ministério Público do DF, e ajudar na sua reversão. A sentença não é definitiva, foi decidida por maioria de votos em uma das Turmas do STJ e não por seu Plenário.

 

10º Fórum dos Corretores de Imóveis reúne cerca de 400 profissionais

“Encerramos o programa pedagógico deste ano com chave de ouro”, diz Sérgio Sobral

“A lapidação é diária. Todos os dias, em todas as vendas, estamos aprendendo.” A afirmação é do corretor de imóveis José Ricardo Niespodzinski, que atua no mercado imobiliário há mais de 30 anos. O corretor participou da 10ª edição do Fórum dos Corretores de Imóveis, realizado pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE), no último dia 13 de dezembro, no Hotel DelMar. Para José Ricardo, é necessário estar preparado para o mercado de hoje, que é muito veloz e exige aprimoramento profissional da categoria. “O fórum vem justamente atender a essa necessidade de atualização e de integração também”, frisou.


Cerca de 400 corretores de imóveis assistiram a seis horas de muito conteúdo. Quem abriu a programação de palestras foi o pernambucano Petrus Mendonça, corretor de imóveis e advogado especialista em Direito Imobiliário. Ele falou sobre “Os Riscos do Atendimento Online na Área Imobiliária” e “Formação e Resolução de Contratos de Compra e Venda”. Em seguida, o professor Marco Antônio Gonçalves ministrou o tema “Os Desafios do Corretor de Imóveis com a Revolução 4.0”. A corretora de imóveis Yasmin Andrade destacou “O Posicionamento do Corretor de Imóveis nas Redes Sociais” e o mágico Bianko, por sua vez, encerrou o evento com a palestra “Show de Criatividade e Inovação no Mercado Imobiliário”, utilizando atividades lúdicas, mágica, humor e interatividade para ilustrar sua temática.


“Além de conhecimento, técnica e comprometimento, você tem que encontrar seu talento para brilhar no seu negócio. O vendedor tem que encantar as pessoas, criar vínculos com os clientes. Vivemos num mundo informatizado, mas um clique pode desconectar. Com o vínculo, entretanto, você cria emoção. É importante entender como se comunicar de maneira efetiva. Vem aí um novo ano, um novo ciclo com boas perspectivas para o mercado imobiliário”, destacou o palestrante. E por falar em comunicação, por diversas vezes o presidente do Creci-SE, Sérgio Sobral, interagiu com os corretores presentes, aproveitando para compartilhar boas notícias. “Podemos dizer que encerramos o programa pedagógico deste ano com chave de ouro”, pontuou.


O presidente anunciou novidades que vão fortalecer a classe e, consequentemente, o mercado imobiliário. “Teremos, em breve, um aplicativo digital de fiscalização, através do qual os corretores poderão ser fiscais. Vai funcionar basicamente assim: os corretores poderão denunciar anonimamente de forma prática e rápida quaisquer irregularidades e atuações ilegais de contraventores, ajudando a tornar o mercado seguro tanto para os próprios corretores como para toda a sociedade. E mais: no início deste próximo ano teremos o portal imobiliário e a instalação da câmara de mediação e arbitragem”, contou o presidente.


Na ocasião, ele também lançou o programa pedagógico INOVAR para o exercício de 2019. “Há alguns anos, temos nos empenhado bastante para manter a oferta de cursos e palestras – de forma gratuita – mensalmente. Agora esse programa pedagógico tem uma identidade visual e um nome: INOVAR. É de inovação e qualificação profissional que precisamos no nosso dia-a-dia como corretores de imóveis”, celebrou Sérgio Sobral, acrescentando mais uma boa notícia. “Em junho de 2019, teremos a quarta edição do Encontro Global de Corretoras de Imóveis, que será aqui em Aracaju. Estamos aguardando comitivas de vários países, então será uma oportunidade de trocar experiências e firmar parcerias”, ressaltou.

Confira as fotos do evento em nossa página no Facebook, clicando aqui.

Sergipana é reeleita Diretora da Integração Feminina do Cofeci

Durante a diplomação dos conselheiros federais do Sistema Cofeci-Creci (Conselhos Federal e Regionais de Corretores de Imóveis), que aconteceu no dia 29 de novembro em Foz do Iguaçu, Paraná, a diretora administrativa do Creci Sergipe, Fatima Sobral, foi reeleita diretora da Integração Feminina. O cargo foi criado há três anos exclusivamente para que ela pudesse incentivar ainda mais as corretoras de imóveis a interagirem, compartilhando conhecimentos e experiências.

Fátima reafirmou que seguirá se engajando em prol do desenvolvimento da categoria no seu estado e em âmbito nacional. “O reconhecimento é fruto de trabalho e dedicação. O que posso dizer hoje é que meu coração se enche de gratidão com esse voto de confiança. Agradeço, em especial, ao Presidente do COFECI, ao Dr. João Teodoro da Silva, por me colocar mais uma vez a frente de tamanha responsabilidade. Sua confiança em minha competência me anima ainda mais”, celebrou a corretora.

A Integração Feminina, acredita Fátima, é justa e necessária para o fortalecimento de toda a classe. Em agosto deste ano, a então conselheira federal conseguiu desenvolver um trabalho diferenciado no 3° Encontro Global de Corretoras de Imóveis, reunindo mais de 400 profissionais em Maceió, Alagoas. A nível local, promoveu um Fórum da Mulher e uma caminhada em apoio à campanha nacional Outubro Rosa. “Cada passo é uma vitória! Nós conhecemos a luta diária da categoria, e especialmente da mulher corretora de imóveis, para se estabelecer nesse mercado imobiliário competitivo. Além disso, fico muito feliz de representar Sergipe em nível nacional”, frisou a diretora.

 

Conselheiros sergipanos são empossados em Plenária Federal do Cofeci

No dia 28 de novembro, os conselheiros federais do Sistema Cofeci-Creci (Conselhos Federal e Regionais de Corretores de Imóveis), eleitos neste ano em seus respectivos Estados, foram empossados em Foz do Iguaçu, Paraná. Durante a solenidade, eles elegeram a nova diretoria do Cofeci, que deve assumir o triênio 2019-2021 a partir de janeiro. O presidente João Teodoro da Silva foi reconduzido ao cargo.  Representando o Creci Sergipe, participaram o presidente Sérgio Sobral e os diretores André Cardoso, Fátima Sobral, Hunaldo Lima e Samuel Chagas.

Para orgulho de Sergipe, Sérgio Sobral foi empossado conselheiro federal e reeleito diretor secretário do Cofeci, enquanto André Cardoso foi empossado conselheiro federal e Fátima Sobral, por sua vez, foi nomeada diretora da Integração Feminina. “É uma honra imensa representar a categoria como diretor secretário e poder trabalhar na defesa de nossa profissão e do mercado imobiliário, sempre buscando avanços e o fortalecimento da classe. O Sistema Cofeci-Creci luta diariamente para aperfeiçoar a legislação que rege o setor imobiliário, e esse trabalho deve continuar. Vamos seguir acompanhando, inclusive, a Frente Parlamentar Mista do Mercado Imobiliário, que tem como objetivo apoiar projetos que beneficiem direta ou indiretamente o setor”, frisou Sobral.

Nos dias 29 e 30, os presidentes e conselheiros se reuniram para fazer um balanço do ano e julgar processos disciplinares de todas as regiões. “A última Plenária do ano sempre tem maior destaque, porque encerra os trabalhos realizados e estabelece as novas metas para o ano seguinte. Temos esperança num 2019 com muito trabalho pela frente, repleto de oportunidades que serão bem aproveitadas por aqueles profissionais que investirem em aprimoramento, qualificação e parcerias”, destacou o presidente do Creci-SE.

Segurança: Fiscalização intensifica atividades com apoio do GEAF

Quem conhece a Fiscalização do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE), entende a importância das atividades desenvolvidas por este setor. Os agentes fiscais trabalham diária e intensamente em prol de um mercado seguro tanto para a sociedade em geral quanto para os corretores de imóveis que atuam pautados na ética e dentro da lei. Com o objetivo de reforçar essas atividades, o Grupo Especial de Agentes de Fiscalização (GEAF) do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci) veio à capital sergipana no período de 5 a 9 de novembro. Desta vez, a equipe contou com representantes do Regional de Alagoas e do diretor nacional de Fiscalização, Claudemir Neves.

“Nosso trabalho é como o que os fiscais locais já fazem aqui. Aproveitamos o feirão e já fiscalizamos o pessoal do evento, principalmente no que tange ao registro imobiliário dos empreendimentos. No mais, é um trabalho em todas as imobiliárias e plantões de venda”, resumiu Claudemir. Para o coordenador de Fiscalização do Creci Sergipe, Stwart Costa, é grande a contribuição do GEAF. “É um grupo com experiência em atividades federais e que traz experiências e meios de trabalho eficientes para adaptar à Fiscalização de cada Regional”, pontuou, acrescentando que a colaboração dos corretores e da sociedade neste trabalho é essencial. “Nós temos um roteiro de visitar imobiliárias, estandes de venda, interiores, mas quando recebemos uma denúncia de irregularidade ou de exercício ilegal, isso contribui para a redução do número de contraventores. É através do trabalho conjunto que a classe se fortalece”, frisou.

Entenda o GEAF

O grupo é formado pelos dois melhores agentes fiscais do país, sob a liderança do diretor nacional de Fiscalização do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (COFECI), Claudemir Neves. Além do combate ao contraventor, a equipe foca nas irregularidades dos corretores de imóveis. A intenção não é suspender inscrições, e sim regularizar a situação dos profissionais inadimplentes ou irregulares para que todos possam dar continuidade as suas atribuições normalmente.

Contravenção

Quando uma pessoa realiza uma transação imobiliária com alguém que não está habilitado para tal serviço, o risco de se ter problemas com documentação e até prejuízos financeiros, devido à falta de capacitação do falso profissional, é muito grande. O contraventor não possui responsabilidade jurídica nas negociações, por isso o erro dele recairá sobre o comprador, vendedor ou locatário que o contratou sem exigir a credencial que prova que ele é um corretor de imóveis.

O presidente do Creci-SE, Sérgio Sobral, destaca a relevância do trabalho desenvolvido pelo setor. “A Fiscalização atua para que os contraventores deixem de atuar no espaço que é de corretores de fato e de direito. Além disso, zela pela segurança nas transações imobiliárias, buscando um mercado seguro para o cliente e justo para o corretor de imóveis. As visitas do GEAF reforçam o trabalho que já é desenvolvido pela Fiscalização do Creci, o que é muito importante para toda a categoria”, ressalta Sobral.

Todos os corretores de imóveis conhecem e sabem das exigências e responsabilidades que devem conduzir a profissão, a exemplo do número do Creci em todas as veiculações, Carteira de Regularidade Profissional expedida pelo próprio Conselho e autorizações de venda e/ou locação. Ainda assim, os agentes fiscais orientam os profissionais durante as visitas. “Sempre que o cidadão tiver dúvidas quanto ao negócio que está fechando, pode nos procurar. No nosso site também é possível consultar o nome do profissional e ter a certeza de que se trata de um corretor de imóveis apto”, orienta Stwart Costa.

 

NOTA

CONCILIAÇÃO

O Cofeci prorrogou o prazo do Programa Nacional de Regularização e Conciliação Profissional, um plano especial de negociação de dívidas dos corretores junto aos Conselhos Regionais, que tem facilitado a quitação de anuidades e multas vencidas de exercícios anteriores e do ano corrente.

No período de conciliação, que segue até o dia 30 de novembro de 2018, o corretor de imóveis terá condições especiais de pagamento, definidas de acordo com sua situação e mediante a celebração de um Termo de Ajuste de Débito (TAD).

O atendimento é feito das 08h às 12h e 14h às 17h, na sede do Creci Sergipe, situada à rua Arauá, nº 919, no bairro São José, em Aracaju, Sergipe. O corretor interessado deve comparecer à sede no endereço e nos horários informados acima.

 

Siga o Creci Sergipe nas redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter): @crecisergipe.

 

 

Novembro azul: Creci Sergipe alerta para a importância da prevenção

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe (Creci-SE) mais uma vez abraça a campanha Novembro Azul e aproveita seus canais de comunicação para aderir ao movimento e conscientizar os corretores de imóveis e a população em geral sobre a importância dos cuidados com a saúde do homem. Vale lembrar que, quanto mais cedo detectado o câncer de próstata, maiores as chances de cura. No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens e, segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes de Silva (INCA), estimam-se mais de 68 mil novos casos em 2018.

Abaixo, algumas informações relevantes acerca de prevenção, sintomas e diagnóstico da doença. Fonte: Instituto Lado a Lado pela Vida.

O QUE É PRÓSTATA? É uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

O QUE É O CÂNCER DE PRÓSTATA? No Brasil, é o segundo tipo de câncer mais frequente em homens, após os tumores de pele não-melanoma. Acontece quando as células deste órgão começam a se multiplicar de forma desordenada. A doença pode demorar a se manifestar, exigindo exames preventivos constantes para não ser descoberta em estágio avançado e potencialmente fatal.

COMO SERÁ O DIAGNÓSTICO? Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 50 anos, ou dos 45, se houver histórico familiar ou raça negra, devem ir anualmente ao urologista para realizar o toque retal e fazer o exame de PSA no sangue. 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DO CÂNCER DE PRÓSTATA? Na fase inicial, ele não apresenta sintomas, e quando os sinais começam, quase 95% dos tumores já se apresentam avançados, sendo muito difícil a cura.

NA FASE AVANÇADA, PODE PROVOCAR:

  • Dor óssea;
  • Sintomas urinários;
  • Queda do estado geral de saúde;
  • Insuficiência renal;
  • Dores fortes.

ATENÇÃO! A ausência de sintomas não garante que não há problemas. Por isso, faça exames preventivos e cuide de sua saúde.

FATORES DE RISCO

  • Idade (cerca de 62% dos casos são de homens a partir dos 65 anos);
  • Histórico familiar;
  • Raça (maior incidência entre homens de pele negra);
  • Alimentação inadequada, à base de gordura animal e defi ciente em frutas, verduras, legumes e grãos;
  • Sedentarismo;
  • Obesidade.
1 2 3 4 5 18